ARTIGO

 

Zé Dantas x Humberto Teixeira
Qual o verdadeiro co-autor das canções "Xanduzinha" e "Paraíba"?

Nascido no dia 13 de dezembro de 1912, na cidade de Exu, localizada no alto sertão pernambucano, Luiz Gonzaga do Nascimento se projetou pelo Brasil e ganhou a coroa de "Rei do Baião". O sucesso foi tão grande que até hoje ninguém conseguiu esquecê-lo. A cada ano, suas canções são regravadas pelos mais diversos artistas e coletâneas especiais são relançadas em CD. E não pensem que se trata de cancioneiro nordestino anacrônico, muito pelo contrário, os jovens adoram.

Durante toda a carreira, fez parcerias com algumas pessoas. Dentre elas, duas merecem destaque: Zé Dantas e Humberto Teixeira.

José de Souza Dantas Filho nasceu em fevereiro de 1921, em  Carnaíba (interior de Pernambuco), e conheceu Gonzaga na praia de Pina, durante a primeira visita deste ao Recife. Luiz conta como foi um dos encontros que tiveram: "Eu estava hospedado no Grande Hotel e Zé ludibriou a vigilância, bateu na porta do meu quarto, eu abri e ele entrou como estava tangendo gado... ´Tchan, tchan! Oi, hê boi, cuch, cuch!´ Eu ri, falei:  — Que é isso rapaz? Então, ele respondeu: — Ué! Num é assim que tu fazia lá no sertão? Olha, eu tenho umas musiquinhas pra mostrar pra você." Naquele momento, apresentou-lhe "Vem Morena", que depois foi gravada pelo cantor-sanfoneiro. Médico obstetra de formação, Dantas teve imensa paixão pela música e gostava sempre de enaltecer o folclore do nordeste querido. Durante os plantões que dava nos hospitais, entre uma cirurgia e outra, fez muitas de suas composições.

Humberto Teixeira, cearense de Iguatu, nascido em 1915, foi morar no Rio de Janeiro no ano de 1930. Começara como estudante de medicina, mas abandonou e resolveu ser advogado, formando-se em 1943. Foi o primeiro entre os dois que engrenou parceria com o "Rei do Baião", conhecendo-o em 1945.

Luiz, por muito tempo, procurou bons letristas, poetas que pudessem ajudá-lo a compor. E encontrou. A biógrafa Dominique Dreyfus, relata no livro "Vida do viajante: a saga de Luiz Gonzaga" que, na verdade, muitas das músicas foram feitas unicamente por Zé Dantas ou Humberto Teixeira, tendo Gonzaga uma participação reduzida e, às vezes, nenhuma. "Eu nunca fui nem compositor, nem letrista. E sempre fui dependente de um bom poeta. Eu não gosto de fazer uma música do início ao fim, e as poucas que eu fiz, não se deram muito bem. Eu faço o monstro e entrego ao poeta. Eu sempre fui um sanfoneiro. Com Zé Dantas, às vezes era parceria mesmo, outras vezes ele fazia letra e música e eu fazia os arranjos. Eu sou mais um ´sanfonizador´".

Está incrustada nas rodas de conversa em Princesa (PB) a idéia de que "Xanduzinha" e "Paraíba" são de autoria de Luiz Gonzaga e Zé Dantas. Inverdade propagada pelos quatro cantos. Na discografia publicada no livro de Dominique, consta o seguinte: nas páginas 319 e 349, "Xanduzinha, baião (H. Teixeira / Luiz Gonzaga;1950;800699a" e na 347,  "Paraíba, baião (L. Gonzaga / H. Teixeira; 1950)". Os mais céticos poderiam dizer que se trata de informação errônea. Contudo, na página 336, há um dado que parece incontestável: na relação de compilações lançadas pela gravadora do cantor (RCA), consta um LP intitulado "MEUS SUCESSOS COM HUMBERTO TEIXEIRA; 1968; RCA", cujas músicas presentes são: "Baião", "Asa Branca", "Lorota Boa", "Mangaratiba", "Assum Preto", "Juazeiro", "PARAÍBA", "XANDUZINHA", "Qui nem Jiló", "Estrada de Canindé", "Respeita Januário" e "No meu pé de serra". Para aqueles que ainda não se convenceram, há mais. Em coletânea preparada por João Máximo — "Luiz Gonzaga: 50 anos de chão" aparece o nome de Humberto no encarte de um dos CDs (e num livreto que acompanha a coleção) como co-autor das referidas canções.

Outra alternativa plausível para sanar a dúvida seria através da cronologia, ou seja, dos respectivos períodos em que Zé e Teixeira fizeram parceria com Luiz. Contudo, esta via não se mostrou pertinente. Gonzaga lançou seu último disco com Humberto em 1952, e Dantas foi morar no Rio de Janeiro, onde Luiz estava, em janeiro de 1950. Logo, por este raciocínio, tanto um como o outro poderiam ter escrito as letras.

Apesar do exposto acima, faz-se mister lembrar o seguinte: é possível creditar a incorreção arraigada na cultura princesense, quanto a quem compôs, à proximidade entre a terra natal de Zé Dantas e o palco dos conflitos em 1930. Difícil é imaginar que tal fator isolado represente uma explicação suficiente. 

(Texto de Mardson Medeiros)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ANDRADE, Joaquim Inojosa. A República de Princesa (José Pereira x João Pessoa – 1930). Rio de janeiro/Brasília: Civilização Brasileira/INL-MEC, 1980.

DREYFUS, Dominique. Vida do Viajante: a saga de Luiz Gonzaga. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 1997.

MÁXIMO, João. Luiz Gonzaga: 50 anos de chão. Coletânea com 3 CDs, lançada em 1996,  extraída da edição original, em caixa de 5 LPs, de 1988.


ALGUNS SITES QUE DÃO SUPORTE À IDÉIA DE QUE HUMBERTO TEIXEIRA FOI CO-AUTOR DE "XANDUZINHA" E "PARAÍBA":

CORREIO DA BAHIA. Jornal eletrônico baiano. Disponível em: http://www.correiodabahia.com.br/2003/04/21/noticia.asp?link=not000074596.xml. Acessado em: 14 de janeiro de 2004.

GONZAGÃO ONLINE. Site não oficial de Luiz Gonzaga. Disponível em: http://www.gonzagao.com.br/discografia.htm. Acessado em: 16 de janeiro de 2004.

INSTITUTO DE ESTUDOS DA CULTURA MUSICAL DO MUNDO DE LÍNGUA PORTUGUESA. Disponível em: http://www.ismps.de/Noten-G.htm. Acessado em: 15 de janeiro de 2004.

JORNAL DA POESIA. Relação com mais de 3.000 poetas e críticos de literatura. No link a seguir, entrevista concedida em 1977 ao pesquisador Nirez, com Humberto Teixeira, em que, na 18ª pergunta, ele cita sua co-autoria na cantiga "Xanduzinha". Disponível em: http://www.secrel.com.br/jpoesia/nirez.html . Acessado em: 17 de janeiro de 2004.

KUARUP DISCOS. Site da gravadora Kuarup sobre música popular brasileira. Disponível em: http://www.kuarup.com.br/sitekuarup/index.asp?parceiro=100&lk=mostra.asp%3Fid=595. Acessado em: 14 de janeiro de 2004.

MUSICALANGO. Disponível em: http://www.musicalango.com.br/nordestinados/triade_mus_nordestina.htm. Acessado em: 15 de janeiro de 2004.

NOVA CULTURA. Os destaques são livros e música. Possui versões em Português e Alemão. Disponível em: http://www.novacultura.de/0304som.html. Acessado em: 16 de janeiro de 2004.

REVIVENDO MÚSICAS. Loja virtual de venda de discos. Disponível em: http://www.revivendomusicas.com.br/produto_detalhe.asp?id=2333. Acessado em: 15 de janeiro de 2004.

RADIO BRAZZIL. Versão em inglês. Disponível em: http://www.brazzil.com/daniv/Texts/Reviews/Capiba-Teixeira.htm. Acessado em: 15 de janeiro de 2004.

UNIVERSO ONLINE: CliqueMusic. Apresenta matérias sobre música. Disponível em: http://216.26.168.48/br/lancamentos/lancamentos.asp?nu_critica=461. Acessado em: 14 de janeiro de 2004.

UNIVERSO ONLINE: CliqueMusic. Humberto Teixeira. Disponível em: http://216.26.168.48/artistas/humberto-teixeira.asp. Acessado em: 14 de janeiro de 2004.

 

SITES QUE RELATAM ZÉ DANTAS COMO CO-AUTOR:

Nenhum encontrado.

 

Método: para realizar a pesquisa sobre sites que se relacionam ao assunto abordado, utilizaram-se os portais "Cadê? / Yahoo!" e "Google!". Digitou-se a palavra-chave "Xanduzinha" e os resultados da busca foram analisados. Por questão de conveniência e espaço, foram selecionadas aleatoriamente, para serem listadas, somente onze dentre todas as páginas localizadas.


Curiosidades:

- O cantor e compositor Tom Zé, escreveu "A Volta de Xanduzinha", cuja letra pode ser encontrada em http://www.maianga.com.br/cds/ing_jussara_letra8.htm. Música incidental: "Xanduzinha".

- "Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga tinham sido contatados através da Nacional [Rádio Nacional], pelo chefe da Casa Civil de Dutra, para fazer um jingle para a campanha eleitoral de José Américo. Compuseram então a música ´Paraíba´..."*

* Relato de Dominique Dreyfus em "Vida do Viajante: a saga de Luiz Gonzaga".


ICONOGRAFIA

 

Luiz Gonzaga e Zé Dantas (à direita). Na verdade, ele gostava de assinar Zédantas (nome e sobrenome unidos).

FONTE: DREYFUS, Dominique. Vida do Viajante: a saga de Luiz Gonzaga. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 1997.

"Santíssima trindade do baião: Luiz Gonzaga, Carmélia Alves e Humberto Teixeira."

FONTE: DREYFUS, Dominique. Vida do Viajante: a saga de Luiz Gonzaga. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 1997.

"No mundo do baião: Zé Dantas e Humberto Teixeira unidos no programa de rádio". Dizem que eles não se davam muito bem. Luiz Gonzaga tentou aproximá-los, mas falhou.

FONTE: DREYFUS, Dominique. Vida do Viajante: a saga de Luiz Gonzaga. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 1997.

Luiz Gonzaga em Princesa, ao lado do Frei Anastácio Palmeira.

FONTE: Arquivo fotográfico pessoal de João Mandu.


PARA OUVIR (clique sobre os nomes):

"Paraíba"

"Xanduzinha"

 

VOLTAR

Princesapb web! Princesa (PB) na internet!
www.princesapb.hpg.com.br ou princesapb.sites.uol.com.br

Desenvolvido por Mardson Medeiros